fbpx

Como adequar seu ecommerce à LGPD?

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), entrou em vigor em agosto e muitos pequenos e médios empresários ainda não se adaptaram às novas normativas. No entanto, é essencial que a lei seja seguida à risca e para evitar problemas jurídicos, os empresários precisam mover forças para entender as principais obrigatoriedades da legislação.

A LGPD foi sancionada em 2018 pelo então presidente Michel Temer (MDB), e previa entre outras coisas, estabelecer normativas regulamentares acerca dos dados pessoais de clientes e usuários, de todo o tipo de empresa, seja ela pública ou privada.

O ecommerce com certeza foi um dos segmentos que mais sentiu o impacto com a validação da lei, já que é um ramo que trabalha diretamente com o armazenamento de dados de seus clientes. Por dados, entendemos aqui todo o processo de cadastro e armazenagem: ponto essencial para um ecommerce funcionar.

Como funciona a LGPD?

Os principais pontos da lei prevê uma mudança quanto a forma de tratar informações pessoais, além de restringir potencialmente o uso dos cadastros; um adendo para dados considerados juridicamente “sensíveis”, como os de orientação sexual, religião, raça, opinião política, entre outras.

Com a LGPD, sempre que um cadastro for feito, deverá haver uma especificação relacionada à utilização da informação. Além disso, o dono das informações, pode a partir da validação e sanção da lei, exigir a proteção de seus dados bem como terá o direito de saber se a empresa possui ou não seus dados cadastros em suas listas.

Principais adequações de sua empresa à LGPD

Cadastros: Em geral, nos e-commerces, o cadastro para a efetivação da compra é obrigatório. Você precisa portanto, deixar os motivos para a efetuação do cadastro; para evitar fraudes, muitas lojas investem em parceiros para proteção de dados. É uma boa saída, além de demonstrar confiança ao cliente.

Lista de “desejos” e carrinho de compra: É uma forma muito importante para entender qual o perfil comportamental do possível cliente, bem como suas formas de compra, além de ter uma utilidade muito grande para o cliente, que consegue utilizar o recurso para salvar os itens que deseja em um momento oportuno. No entanto, com a LGPD é importante tornar a ferramenta clara: quais são os recursos utilizados? Os formulários? É essencial, para a LGPD que o usuário/cliente saiba exatamente a finalidade de tudo.

Pesquisa de informação: Na LGPD, o cliente é rei. Caso ele peça a solicitação sobre a situação de como se encontram seus dados, ele poderá verificar, averiguar e interpretar a situação. Importante salientar aqui que a os e-commerces devem estabelecer parâmetros a partir de protocolos caso haja o caso de que algum cliente verificar os seus dados.
Com essas pequenas mudanças você já fica em dia com alguns quesitos da lei, mas para informações e delineamento mais concreto, contate uma assessoria jurídica

Compartilhar esta matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Fale com um especialista

Somma publicidade

+55 15 9 9764 3569 - Suporte
+55 11 9 9911 3990 - Comercial
+55 15 9 9841 1451 - Financeiro

[email protected]

Rua Aparício Fiuza de Carvalho, 956 - Apto 02 Itaporanga/SP