fbpx

Google não cobrará para as lojas mostrarem seus produtos no shopping.

Em meio à crise da pandemia de coronavírus, o Google comunicou no dia 21 de abril que as lojas não serão mais obrigadas a pagar ao buscador para exibirem seus produtos no Google Shopping. Até então, todas as campanhas eram pagas. A partir da próxima semana, os resultados de busca “consistirão principalmente de listagens de produtos gratuitas”, informou a empresa. Os resultados de busca do Google Shopping são atualmente compostos de lojas que pagam uma determinada quantia ao Google e o valor muda de acordo com o termo pesquisado e com os lances ofertados por concorrentes. A empresa explica: “O Google é remunerado por esses comerciantes. O pagamento é um dos vários fatores utilizados para classificar os resultados”. Segundo o Google, com os estabelecimentos fechados para conter a pandemia da Covid-19, as vendas online se tornaram uma questão de sobrevivência para os comerciantes. As empresas podem aproveitar essa oportunidade para se reconectarem com seus clientes, mas “muitas não podem se dar ao luxo de fazer isso em escala”, como é o caso dos pequenos lojistas. Para os usuários, o Google diz que a mudança fará com que mais produtos sejam encontrados no Google Shopping. No entanto, as campanhas pagas não deixarão de existir. Isso significa que os lojistas que já anunciavam no Google poderão ter um aumento de destaque em seus produtos nos resultados de busca, de acordo com a companhia. Os anúncios gratuitos no Google Shopping serão lançados primeiro nos Estados Unidos até o final de abril. O objetivo é estender a mudança para o mundo todo antes do final do ano, segundo o Google.

O que podemos aprender com o filme ”Um Senhor Estagiário”?

Se você gosta de assistir a filmes, certamente sabe que, além de entreter e emocionar, eles também são capazes de ensinar. É o caso de “Um Senhor Estagiário”, estrelado por Anne Hathaway e Robert De Niro, que fala muito sobre e-commerce. Com roteiro e direção de Nancy Meyers, a comédia com toques de drama é inspiradora principalmente para as mulheres na liderança. De Niro vive Ben, um executivo aposentado e viúvo de cerca de 70 anos. Ele se sente desmotivado e entediado e, por isso, resolve fazer algo com toda essa energia e disposição. É nesse contexto que, em busca de um propósito de vida, ele descobre um programa de estágio voltado para a terceira idade. Ben, então, começa a estagiar na startup online fundada por Jules, interpretada por Anne Hathaway. Jovem esposa e mãe, ela está totalmente dedicada à sua nova empresa, que está crescendo com bastante rapidez. Esse sucesso todo faz com que os investidores da startup questionem a capacidade de Jules de comandar o negócio — eles acreditam que a falta de experiência dela possa comprometer o potencial e o sucesso da empresa. Com isso, Jules começa a duvidar de si mesma não apenas no âmbito profissional, mas também enquanto esposa e mãe. Diante desses obstáculos, Ben mostra-se um grande aliado para Jules. Ben fascina-se pela determinação e pela capacidade dela e, por isso, tenta motivá-la a não deixar que a startup vá parar nas mãos dos investidores. “Um Senhor Estagiário” aborda, assim, a relevante questão das mulheres na liderança, discutindo também a importância da convivência entre gerações, da empatia e de trabalharmos com pessoas que nos inspirem e nos motivem a ir cada vez mais longe.

Reclamações sobre compras online dobraram de 2019 para 2020.

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) registrou um aumento de mais de 100% nos atendimentos relacionados a compras online, se comparado os primeiros trimestres de 2019 e 2020. Em janeiro, fevereiro e março do ano passado foram 17.108 casos, já no mesmo período deste ano, 35.789. As questões mais reclamadas pelos consumidores são demora ou não entrega da mercadoria, seguidos por problemas com cobrança e produtos com defeitos. Os consumidores reclamaram também de problemas com contrato, pedido ou orçamento, serviço não fornecido, cancelamento da compra e entrega diferente do pedido. Com a pandemia do coronavírus, as compras online foram vistas como fundamental para obtenção de itens considerados essenciais. A logística, porém, acabou afetada pela diminuição de pessoas nos centros de distribuição e maior tempo de frete por conta do aumento de demanda. O secretário de defesa do consumidor de São Paulo, Fernando Capez, afirmou que as empresas podem ser multadas caso infrinjam o Código de Defesa do Consumidor. “O Procon, enquanto órgão de defesa do consumidor, irá multar as empresas que estão agindo em desacordo com a lei”, afirma.

Como o e-commerce pode driblar o coronavírus?

Brasil foi atingido em cheio com a crise devido ao coronavírus. Muitos foram obrigados por suas empresas a trabalhar em home office e orientados a não saírem de casa neste período de quarentena evitando o contágio e disseminação da doença. Fora isso, veio por consequência a paralisação do comércio em geral decretado pelos governos estaduais e federais. A boa notícia é que existe uma forma de o varejo driblar essa atual crise, utilizando toda sua força para continuar trabalhar com 100% da sua forma de trabalho. Organize seu estoque em menos pontos de distribuição Faça uma coleta do seu estoque que está parado em suas lojas físicas fechadas e crie centros de distribuições regionais, centralizando a disponibilidade e oferta de estoque. Não deixe seu estoque parado em lojas fechadas. Transforme seus vendedores em afiliados digitais! Seus vendedores estão em casa impedidos de vender, pois a loja em que trabalha foi fechada? Transforme eles em afiliados digitais. Crie um campo no seu carrinho ou checkout para que o consumidor final possa informar o nome ou código do vendedor que os ajudou na compra. Peça a todos os vendedores que comecem uma prospecção ativa na sua base de clientes, segmentando-os por região e utilizando o whatsapp como canal principal de comunicação. Em momentos de reclusão, todos os consumidores estão colados em seus celulares 100% do tempo. Não tem como criar esse campo no seu carrinho ou checkout? Basta na hora do seu vendedor indicar um link para o cliente, adicionar no final uma tag: ?utm_source=cod.do.vendedor Ao final o link seria: http://www.sualojavirtual.com.br/nome-do-produto?utm_source=cod.do.vendedor Dessa forma você conseguirá identificar as vendas pelo Google Analytics ou pelo seu gerenciador de pedidos, se o mesmo tiver o campo de utm em seus filtros. Seu franqueado ou multimarca não tem site? Traga ele para dentro do seu! Uma forma simples e barata de fazer isso seria criar uma categoria chamada “Lojas”, e as subcategorias seriam o nome das lojas, como exemplo: “Maria Modas”. Dessa forma você teria uma url montada assim: http://www.sualojavirtual.com.br/lojas/mariamodas Para criar uma identidade, a grande maioria das plataformas permitem que você adicione um banner superior na categoria. sse banner, seria a logo da sua loja parceira, nome e alguma outra informação que você gostaria de colocar. Abaixo a vitrine pode replicar a árvore de categoria principal do site. Depois com o tempo você vai personalizando a vitrine de acordo com cada loja parceira. Da mesma forma que isso funciona para multimarcas, funciona também para franquias. A logística será seu maior aliado nesse momento Nesse momento a agilidade está a favor do e-commerce. Faça parcerias e contratos com os principais empresas de delivery expresso, como Rappi, Loggi, Uber, Delivery Center e as Courrier de bicicletas, ambas continuam operando 100% para atender o aumento da demanda de entregas mais próximas e as transportadoras para entregas intermunicipais e estaduais. Lembrando que o fato de centralizar a origem do produto facilita a vida das transportadoras. Use descontos para gerar a oportunidade de venda Sabemos que no momento de crise, qualquer percentual de desconto na venda, implica em perda de margem, mas estamos passando por um momento que o principal é deixar a roda girar. Com isso, teremos sim que sacrificar parte da nossa margem em prol da venda. Faça promoções agressivas com prazo curto simulando flash sale. Não tem margem para promoção? Aumente o parcelamento e depois negocie com as adquirentes menores taxas de antecipação. Lembre-se que o consumidor também está no mesmo barco da crise, sem poder trabalhar e gerar renda. Usem e abusem do WhatsApp como canal principal de atendimento Os consumidores nesse momento estão vivendo pelo WhatsApp, seja para se comunicar com suas famílias, seus colegas de trabalho, ou seus amigos de infância. Os grupos de WhatsApp se tornaram maiores e mais ativos. Com isso a preferência do consumidor por manter a comunicação centralizada nesse canal cresce a cada dia. Crie um número único para atender seus clientes, seja na dúvida de produtos, no pós venda ou até mesmo para fazer uma venda direta pela whatsApp. De preferência, migre para o WhatsApp Business, que te dará diversas ferramentas para você classificar seus clientes e organizar melhor seu atendimento por um único número.

Google lança programa gratuito de mentoria para PMEs.

O Google lançou o programa de Mentoria Cresça com o Google para ajudar as pequenas e médias empresas (PMEs) brasileiras durante a pandemia da Covid-19. Por meio dele, empreendedores terão a oportunidade de tirar dúvidas e receber orientação de profissionais sobre as principais áreas da rotina de uma empresa que foram impactadas durante a pandemia. Segundo a empresa, o programa terá mais de 30 mentoras selecionadas por meio de uma parceria com a Rede Mulher Empreendedora (RME). Durante dois meses, os interessados poderão agendar reuniões de 30 minutos com as mentoras — no total, serão oferecidas 120 sessões de mentoria online diárias, totalizando 5 mil ao final do período. Os interessados poderão escolher entre seis temas: vendas online (e-commerce), finanças e contabilidade, inteligência emocional para empreendedores, inovação e modelos de negócio, apoio jurídico e marketing digital. Vendas online: saiba como oferecer o seu produto na internet, como funciona o processo de vendas online e quais técnicas você deve utilizar. Além de como montar uma estratégia de vendas e quando abrir uma loja virtual. Finanças e contabilidade: receba dicas sobre planejamento financeiro, organização de fluxo de caixa e como ter acesso a créditos ou empréstimos. Entenda como as ações governamentais impactam autônomos, como MEIs. Inteligência emocional para empreendedores: aprenda a identificar as suas emoções e lidar com elas. Saiba como equilibrar trabalho e família, tomar decisões mais assertivas e exercer um papel de liderança nesse período. Inovação e modelos de negócios: tire suas dúvidas sobre quais inovações podem ser colocadas em prática agora. Aprenda como executar um novo modelo de negócio para aumentar a sua receita. Apoio jurídico: receba orientação profissional sobre como proceder com contratos, como gerenciar fornecedores e colaboradores. Conheça mais sobre questões trabalhistas e tributárias. Marketing digital: como melhorar a divulgação online do seu negócio, atrair novos clientes e fazer melhor uso das ferramentas disponíveis no mercado de acordo com o perfil da sua empresa serão alguns dos temas abordados nessa mentoria. O agendamento para as sessões de mentoria já está aberto e pode ser feitos por meio do site g.co/EmCasa até o final de junho de 2020. É necessário ter uma Conta Google para realizar a inscrição e há o limite participação em uma mentoria por tema a cada 30 dias.

Pix, a nova forma de pagamento lançada pelo Banco Central

Muitos varejistas de comércio eletrônico ainda não tomou ciência sobre uma das principais novidades de 2020 para o setor: o Pix. A nova forma de pagamento lançada pelo Banco Central neste ano. Anunciado em fevereiro, o Pix começa a funcionar em 20 de novembro. O conceito é um novo meio de pagamento instantâneo, que vai permitir transferências de dinheiro entre contas correntes de clientes e empresas em uma média de dois segundos. Para o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o Pix é um dos projetos mais importantes do Bacen no ano e tem potencial para substituir o TED e o DOC, hoje os meios de transferências de dinheiro mais comuns. “É um dos projetos mais importantes do Banco Central este ano e uma necessidade das pessoas. É um sistema de pagamento instantâneo, rápido e seguro. É um embrião da transformação na intermediação financeira do país”, comemorou Campos Neto no lançamento. Com a implantação do Pix, o país ganha mais uma alternativa para efetuar transações e os e-commerces diminuem o número de intermediários na cadeia de pagamentos. Além do menor custo, a disponibilização imediata dos recursos otimizará a gestão do fluxo de caixa dos e-commerces, o que tenderá a reduzir sua necessidade de crédito. Outro benefício é a facilidade de automatização e de conciliação dos pagamentos, e rapidez de checkout. Para usar o Pix, será preciso que o comprador e a empresa tenham conta em um banco, em uma instituição de pagamento ou em uma fintech; não necessariamente uma conta corrente, as transações também poderão ser feitas usando uma conta de pagamento ou poupança. O dia e a hora da transação não importarão, nem se o comprador e o vendedor da operação possuem relacionamento com o mesmo banco ou instituição. A liquidação será imediata, ou seja, quem vende terá em poucos segundos os recursos disponíveis em sua conta.

Ship From Store: Poder ser aliado de e-commerces que possuem lojas físicas.

Em tempos de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), receber mercadorias em casa de forma rápida tornou-se ainda mais imprescindível. Por isso, a modalidade de ship from store pode ser uma aliada dos varejistas. O ship from store é um processo de atendimento pelo qual se usa o estoque da loja física para atender aos pedidos realizados no e-commerce, e pode ser aplicada em lojas de qualquer tamanho. A organização é a palavra-chave do ship from store. É necessário organizar a carteira de pedidos que entram e saber em que momento fazer a separação, ver se vale a pena abrir mais cedo a loja física para separar os produtos antes do atendimento aos clientes. Também é necessária velocidade de separação dos produtos. Não precisa de aplicativos ou programas específicos, mas garantir que o processo seja simples. Por fim, precisa combinar com qualquer estrutura de transporte, seja motoboy, van, pick-up, para efetivamente saber a hora que as entregas vão ser feitas, com clientes roteirizados. Apesar de ser uma solução útil para os lojistas, o ship from store não é recomendadas para todas as lojas, pois é muito importante ter estoque em loja para realizar esse serviço. Em uma loja utilizada como showroom, por exemplo, não faz sentido. Nesses casos, seria melhor fazer a entrega a partir de um Centro de Distribuição.

Usuários ativos na internet somam 59% da população mundial!

Em tempos de normalidade e com todo seu potencial, a internet já garantia a maioria das pessoas aos seus pés, conectadas diariamente. Tendo isso em mente, o Cuponation, plataforma de descontos online e integrante da alemã Global Savings Group, compilou dados de uma pesquisa para saber quanto da população mundial está usando a internet e seus meios durante a quarentena para não cair no tédio. A plataforma internacional de estatísticas Statista realizou um levantamento para saber quantas pessoas ao redor do mundo estiveram conectados à internet durante o mês de abril deste ano. Sendo assim, registrou que havia cerca de 4.57 bilhões de usuários ativos todos os dias do mês — o que representa em média 59% da população mundial. Destas pessoas ativas, o acesso à internet foi feito, em sua maioria, utilizando celulares e tablets. Com fácil alcance em qualquer ambiente da residência, os eletrônicos portáteis foram usados por 4.2 bilhões de pessoas. O Statista também divulgou que as redes sociais, no geral, foram os aplicativos mais buscados e utilizados na quarentena durante o mês de abril. Dessa forma, somam 3.81 bilhões de pessoas conectadas cotidianamente. Além disso, foi registrado que 3.76 bilhões desses acessos foram feitos via mobile. Essa pesquisa só vem a confirmar que a internet é o melhor local para se fazer vendas! Se você já tem uma loja virtual, tire essa pesquisa como embasamento para suas projeções futuras, mas se você ainda não tem um e-commerce, tenha esta pesquisa como fonte de inspiração e procure a Somma Publicidade para montar a sua loja virtual já!